sábado, 29 de setembro de 2012

Dia dos Arcanjos Säo Miguel, Säo Gabriel e Säo Rafael


«Os seus anjos, no Céu, vêem constantemente a face de Meu Pai que está no Céu» (Mt 18,10)
Os anjos são os nossos pastores; não só levam a Deus as nossas mensagens, como também trazem até nós as que Deus nos envia. Apascentam-nos a alma com doces inspirações e comunicações divinas; sendo bons pastores, protegem-nos e defendem-nos dos lobos, isto é, dos demónios.
Com as suas secretas inspirações, os anjos possibilitam à alma um conhecimento mais elevado de Deus; inflamam-na assim de uma chama mais viva de amor para com Ele; chegam até a deixá-la ferida de amor [...].
A luz de Deus ilumina o anjo, penetrando-o com o seu esplendor e inflamando-o com o seu amor, porque o anjo é um espírito puro completamente disposto a essa participação divina, mas, ao homem, ilumina-o habitualmente de uma maneira obscura, dolorosa e penosa, porque o homem é impuro e fraco [...].
Quando o homem se torna verdadeiramente espiritual e fica transformado pelo amor divino que o purifica, recebe a união e a amorosa iluminação de Deus com uma suavidade semelhante à dos anjos [...].
Lembrai-vos de como é vão, perigoso e funesto exultarmos com tudo o que não seja serviço de Deus, e considerai a tamanha infelicidade dos anjos que exultaram e se comprazeram com a sua própria beleza e seus próprios dons naturais; pois foi esse o motivo por que alguns deles caíram, privados de toda a beleza, no fundo dos abismos.
©Evangelizo.org 2001-2011
http://www.evangelhoquotidiano.org/main.php?language=PT&module=commentary&localdate=20100929
Conheçam também a Obra dos Santos Anjos e a Ordem dos Cônegos Regulares da Santa cruz que têm a devoção aos Santos Anjos e a divulgam, com a aprovação da Santa Igreja.

sexta-feira, 28 de setembro de 2012





O Pe. Gabriele Amorth, famoso exorcista, reflete sobre a nova onda satânica

 ROMA,11/06/2004 - Por ocasião da captura de membros da seita satânica “Bestas de Satanás”, responsável por vários assassinatos rituais no norte da Itália, o vaticanista do semanário L’Espresso, Sandro Magister, entrevistou nesta semana o mais famoso exorcista do mundo, o Pe Gabriele Amorth, que a nos seus oitenta anos de idade avalia a crescente ação de de Satanás em formas culturais de hoje. Magister pergunta ao Pe. Amorth sobre os crimes do norte da Itália, e então examina a situação do satanismo e a ação do demônio na cultura atual. Embora com algumas duras generalizações, o exorcista italiano, que confessa que se encomenda à Virgem Maria “para que me proteja sob seu manto” antes de cada exorcismo, explica como a principal vitória do demônio é a de fazer crer que ele não existe. Padre Amorth, primeiro as três meninas em Chiavenna, depois Erica e Omar, e agora a banda juvenil de Somma Lombardo. É Satanás quem atua neles? Seguramente sim, os dois primeiros quase os estudei bem. Esses garotos estavam entregues ao demônio, liam livros satânicos. E que ferocidade inaudita em seus atos! Quando uma filha dá noventa e sete facadas em sua própria mãe não se pode não ver a ação do príoncipe das trevas. Existem momentos em que está mais ativo que em outros? Em termos gerais Satanás está sempre ativo. É o tentador desde o princípio. Faz de tudo para que o homem peque e cada vez que se realiza o mal, ele está por detrás, deixando claro que é o homem quem decide livremente seus atos. Mas também existe uma ação extraordinária do maligno: e esta é a possessão diabólica São freqüentes os atos de possessão? Não, são raros. É impossível dar os números precisos. Os casos de verdadeira possessão que eu atendo são numerosos, mas é porque a mim chegam os casos mais difíceis, não resolvidos por outros exorcistas. Nos primeiros anos de minha atividades, quando acolhia a todos sem filtro, a grande maioria eram doentes psíquicos, sem o demônio no meio. Como se dá contra de que alguém está endemoniado? Só sei durante a cura, não antes. Um sintoma inequívoco é a violentíssima, visceral aversão a tudo o que é sagrado. Lembro de um pai que temia que seu filho estivesse possuído pelo demônio e um dia, enquanto estávamos juntos à mesa, disse mentalmente por ele um Ave Maria. O garoto prorrompeu em um grito: Papai, não, cala boca!’. Depois está o falar línguas desconhecidas, a explosão de uma força sobre-humana, a levitação todas são coisas que acontecem durante os exorcismos. Entre uma crise e outra, como vive um endemoniado? De maneira normal. Vai a seu trabalho e ninguém sabe. Tem bem escondido seu estado. Quando sente que lhe chega uma crise se afasta, se tranca no banheiro, se descarrega, e então volta impassível a seu lugar. Isto acontece com maior razão com os endemoniados em processo de cura aos quais o exorcismo dá a força para voltar plenamente a uma vida normal. Uma coisa debe ser ressaltada: a possessão diabólica não é nem hereditária nem contagiosa. O que une os endemoniados aos satanistas? Acontece freqüentemente que um endemoniado se converta em tal por ter ingressado em uma seita espírita ou satânica. Entre aqueles que estou tratando há poucos desses, porque os que vêm pedir o exorcismo são os satanistas arrependidos. Mas penso que entre os satanistas existam muito mais. È muito fácil entrar nas seitas satânicas, mas muito difícil sair. Em alguns casos se arrisca a própria vida. E que vínculo têm os satanistas com o demônio? Há de dois tipos: aqueles que adoram o demônio, celebrando missas satânicas, têm seus sacerdotes e sua hierarquia; e aqueles que não crêem na existência personificada de Satanás, mas se entregal a atos torpes e contra a natureza. Este outro satanismo é o mais perigoso. João Paulo II realizou exorcismos sobre três endemoniadas. Elas ficaram curadas? A terceira nã. Venho tratando dela desde 1998 e é um caso verdadeiramente doloroso. A parte do Papa, Como está a Igreja na crença no demônio? Muito em queda. E o demônio está contentíssimo, porque assim tem as mãos livres para fazer seu trabalho. A Igreja passou de um extremo a outro. Para remediar a loucura da caça à bruxas, que em vez de serem exorcizadas eram queimadas, cancelou tudo, diabo e exorcismos. O resultado é regiões católicas inteiras que não têm mais exorcistas: Espanha (Na Espanha sim existe um conhecido exorcista, o Pe. Fortea –nota do tradutor-), Portugal, Alemanha, Áustria, Suíça. Eu admiro os bispos italianos. Não compreendem nada, mas pelo menos nomeiam os exorcistas. No ano passado nós, (exorcistas) italianos nos reunimos: éramos cento e setenta. Explique-se melhor, Em que sentido os bispos “não entendem nada”? Porque também eles, como todos os sacerdotes, estudaram no seminário. E há tempos no seminário não se ensina nada dos anjos e dos demônios, nada dos exorcismos, nada dos pecados contra o primeiro mandamento, “Não terás outro Deus fora de mim: magia, espiritismo e satanismo”. E a cúria vaticana? A mesma incompetência. Aprovou um novo ritual que para nós os exorcistas é um desastre. Proibe agir em caso de malefício, quando 90 por cento dos casos de possessão derivam precisamente daí. Proibe agir se não tem certeza prévia da ação diabólica, quando isso só se pode compreender quando se está atuando. Por sorte continua valendo o velho ritual. Eu uso esse, de outra forma teria que renunciar.

 (fonte: http://www.rainhamaria.com.br/Pagina/485/O-Pe-Gabriele-Amorth-famoso-exorcista-reflete-sobre-a-nova-onda-satanica)

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Viva nossa mãe!


Imagem de Nossa Senhora chora sangue no Líbano, fenômeno coincide com a visita do Papa Bento XVI ao país




Uma imagem de Nossa Senhora na cidade de Byblos, ao norte de Beirute, começou a chorar sangue e óleo, segundo meios de comunicação libaneses, que destacaram que o fenômeno coincide com a visita do papa Bento XVI ao país.
A estátua, que está no santuário de Nossa Senhora dos Mares em Byblos, considerada a cidade mais antiga do mundo e que deu seu nome à Bíblia, supostamente solta sangue e óleo pelo olho direito, pela boca e pelo pescoço.
A emissora de rádio A Voz do Líbano detalhou que a imagem começou a chorar ontem às 20h (14h de Brasília).
O sacerdote da igreja, o padre Charbel Beirute, assinalou a essa rádio que, embora ele mesmo tenha comprovado que a estátua libera óleo e sangue, espera que as autoridades eclesiásticas mandem um comitê para averiguar se este fenômeno pode ser classificado como um milagre.
Bento XVI chegou ao Líbano para uma visita de três dias, a primeira a este país em seus sete anos de Pontificado.

Fonte: Terra noticias -

segunda-feira, 24 de setembro de 2012




Santos Intercessores




São Jerônimo (340/420), doutor da Igreja:
´´Se os Apóstolos e mártires, enquanto estavam em sua carne mortal, e ainda necessitados de cuidar de si, ainda podiam orar pelos outros, muito mais agora que já receberam a coroa de suas vitórias e triunfos. Moisés, um só homem, alcançou de Deus o perdão para 600 mil homens armados; e Estevão, para seus perseguidores. Serão menos poderosos agora que reinam com Cristo? São Paulo diz que com suas orações salvara a vida de 276 homens, que seguiam com ele no navio [naufrágio na ilha de Malta]. E depois de sua morte, cessará sua boca e não pronunciará uma só palavra em favor daqueles que no mundo, por seu intermédio, creram no Evangelho?´´ (Adv. Vigil. 6)

Santo Hilário de Poitiers (310/367), bispo e doutor da Igreja:
´´Aos que fizeram tudo o que tiveram ao seu alcance para permanecer fiéis, não lhes faltará, nem a guarda dos anjos nem a proteção dos santos´´.
São Cirilo de Jerusalém (315/386): bispo de Jerusalém e doutor da Igreja:
´´Comemoramos os que adormeceram no Senhor antes de nós: Patriarcas, profetas, Apóstolos e mártires; para que Deus, por sua intercessão e orações, se digne receber as nossas´´.

Concílio de Trento (1545/1563 / 25ª Sessão):
´´Os santos que reinam agora com Cristo, oram a Deus pelos homens. É bom e proveitoso invocá/los suplicantemente e recorrer às suas orações e intercessões, para que vos obtenham benefícios de Deus, por NSJC, único Redentor e Salvador nosso. São ímpios os que negam que se devam invocar os santos que já gozam da eterna felicidade no céu. Os que afirmam que eles não oram pelos homens, os que declaram que lhes pedir por cada um de nós em particular é idolatria, repugna à palavra de Deus e se opõe à honra de Jesus Cristo, único Mediador entre Deus e os homens (1 Tm 2,5)´´.

SOBRE A CONFISSÃO

Santo Agostinho (354/430), bispo de Hipona, doutor da Igreja:
´´Se na Igreja não existisse a remissão dos pecados, não existiria nenhuma esperança, nenhuma perspectiva de uma vida eterna e de uma libertação eterna. Rendamos graças a Deus que deu à Sua Igreja um tal dom´´.
´´Fazei penitência, como é costume na Igreja, se quereis que ela ore por vós. Ninguém diga / eu faço penitência secretamente diante de Deus. Ele sabe/o e perdoa/me, porque faço penitência em meu coração… Poderemos nós anular o Evangelho e a palavra de Cristo?´´

São Leão Magno (400/461), Papa e doutor da Igreja:
´´Deus em sua infinita misericórdia, preparou dois remédios para os pecados dos homens: o batismo e a penitência. Pelo batismo nascemos para a vida da graça; pela penitência recuperamo/lo, se tivermos a infelicidade de perdê/la. Todo cristão, portanto, deve examinar a sua consciência, não adiando dia a dia a sua conversão. Ninguém espere satisfazer a justiça de Deus na hora da morte. É um perigo para os fracos e ignorantes adiar a sua conversão para os últimos dias de sua vida.´´

São Gregório Magno (540/604), Papa e doutor da Igreja:
´´Os Apóstolos receberam, pois, o Espírito Santo para desligar os pecadores da cadeia dos seus pecados. Deus fê/los participantes do seu direito de julgar; e eles julgam em Seu Nome e em Seu lugar. Ora, como os bispos são os sucessores dos Apóstolos têm o mesmo direito´´.
´´O pecador, ao confessar sincera e contritamente os seus pecados, é como Lázaro: já vive, mas está ainda ligado com as ataduras de seus pecados. Precisa de que o Sacerdote lhas corte; e corte/lhas absolvendo/o´´.

Fonte: http://reporterdecristo.com

sábado, 22 de setembro de 2012



OS MILAGRES INÉDITOS DO PADRE PIO, O SANTO DOS ESTIGMAS


Zenit entrevista José Maria Zavala, o autor do novo livro sobre o sacerdote italiano

Madri, terça-feira, 2 de novembro de 2010 (ZENIT.org).- Foi publicado na Espanha o livro “Padre Pio. Os milagres desconhecidos do santo dos estigmas” (Editora LibrosLibres, em tradução livre). O livro traz testemunhos de conversões e curas atribuídas ao santo e reunidas pelo autor, José Maria Zavala.
"Nunca tinha sentido tanta vontade de compartilhar uma experiência como aconteceu com esta, que me marcou para a vida inteira”, reconhece o autor nesta entrevista concedida a Zenit, lembrando que a canonização de Pio de Pietrelcina (1887-1968), em 2002, bateu todos os recordes de fiéis da história do Vaticano.
ZENIT: Como é lembrado o Padre Pio no convento de San Giovanni Rotondo, onde passou quase toda a sua vida?
José María Zavala: Com um carinho imenso. Há fiéis que continuam sentindo o perfume intenso dos seus estigmas como o melhor sinal de que ele nunca os abandona, essa mesma fragrância que já deixou gelado mais de um incrédulo.
ZENIT: Muitas pessoas que o conheceram de perto ainda vivem?
José María Zavala: Poucas, mas tive a grande sorte de entrevistá-las. Como a Irmã Consolata, uma freira de clausura com 95 anos que me recebeu no convento e me relatou episódios inesquecíveis e desconhecidos. Nunca lhe serei grato o suficiente. Nem a ela nem a Piepero Galeone, sacerdote octogenário com fama de santo, a quem o Padre Pio curou milagrosamente depois da Segunda Guerra Mundial. Ou a Paolo Covino, o capuchinho que administrou a Unção dos Enfermos ao Padre Pio. Todos eles romperam pela primeira vez seu silêncio para falar do Padre Pio neste livro.
ZENIT: Eles expressam alguma ideia comum?
José María Zavala: Todos coincidem em que ele fez o mesmo que Jesus na terra: converteu os pecadores, curou os doentes, consolou os aflitos… carregou com a cruz durante toda a sua vida para redimir os homens do pecado. O Padre Pio sabia muito bem que sem sacrifício pessoal era impossível ganhar almas para o Senhor.
ZENIT: Quem foi o Padre Pio?
José María Zavala: Um grande presente que Deus fez aos homens em pleno século XX para que continuem acreditando nEle. É impossível aproximar-se com simplicidade e sem preconceitos de sua figura e permanecer insensível. Conheço muita gente cuja fé estava morta por falta de obras e que, por intercessão do Padre Pio, agora está muito perto de Deus, reza e é feliz fazendo felizes aos outros.
ZENIT: Existe uma relação entre suas horas no confessionário e os estigmas?
José María Zavala: "Tudo é um jogo de amor", ele dizia. De Amor, com maiúscula, pelo próximo; ele sabia muito bem que o melhor se compra pelo preço de um grande sacrifício. O padre Pio viveu “crucificado” durante cinquenta anos com estigmas nas mãos, nos pés e no lado, que sangravam diariamente. Semelhante sofrimento moral e físico era um meio infalível para libertar muitas almas dos laços de Satanás. Por isso mesmo ele passava, às vezes, dezoito horas seguidas no confessionário.
ZENIT: Como um novo Cura d'Ars...
José María Zavala: Nisto reside a grandeza desse homem de Deus. San Giovanni Rotondo, onde viveu e morreu é, ainda hoje, um verdadeiro caminho de Damasco, pelo qual milhares de pecadores retornam ao Senhor. É o primeiro sacerdote estigmatizado na História da Igreja e com alguns carismas que o tornam muito especial, desde a bi-locação até o exame de corações que lhe permitia ler a alma dos penitentes.
ZENIT: “Farei mais barulho morto que vivo”, comentou Padre Pio um dia. O que quis dizer?
José María Zavala: Teríamos de perguntar às centenas de pessoas no mundo todo que, por intercessão dele, continuam se convertendo hoje e/ou se curando milagrosamente de uma doença mortal. Muitos deles contribuem com  testemunhos impressionantes neste libro. Podemos afirmar que o Padre Pio continua atuando hoje, do céu, mais prodígios que quando estava na terra.
ZENIT: O senhor recolhe algumas conversões marcantes…
José María Zavala: Gianna Vinci me relatou em Roma um desse milagres que deixam qualquer um boquiaberto. Em certa ocasião, uma mulher, doente de câncer, pediu a seu marido, agnóstico, que a levasse a San Giovanni Rotondo, pois tinha ouvido que o Padre Pio fazia milagres. O homem impôs uma condição: esperaria fora da igreja. Então a mãe entrou sozinha com o filho de dez anos. Gianna Vinci estava ali e viu tudo. A mulher ajoelhou-se no confessionário do Padre Pio enquanto este indicava ao menino que avisasse seu pai. O pequeno obedeceu: “Papai, o Padre Pio está te chamando”, disse na porta. Mas o menino… era surdo mudo! Emocionado, o pai acabou se confessando e sua esposa ficou curada do câncer naquele mesmo instante.
ZENIT: Qual é o segredo da popularidade deste santo?
José María Zavala: O amor pelos demais, insisto. O Padre Pio continua recolhendo hoje os frutos de sua semeadura do céu. Na Itália, pude sentir o grande carinho que as pessoas professam por este santo. Ao voltar a Madri, enquanto despachava a bagagem no aeroporto, um policial começou a colocar dificuldades mas quando viu o retrato do Padre Pio que eu levava para um amigo, me deixou passar com um sorriso: “Que passaporte!”, pensei.
ZENIT: E fora da Itália, o Padre Pio vai sendo mais conhecido?
José María Zavala: Espero que este livro sirva para torná-lo mais conhecido na Espanha, onde já fez alguns milagres. Na Argentina, México, Chile e Filipinas ele conta cada vez com mais devotos.
ZENIT: O que significa este livro no conjunto da sua bibliografia?
José María Zavala: É, sem dúvida, minha obra mais importante.  Nunca tinha sentido tanta vontade de compartilhar uma experiência como aconteceu com esta, que me marcou para a vida inteira. Dizem que quando o Padre Pio levanta uma alma, não a deixa cair mais. Pois comprovei isso na minha própria pele. Convido todo aquele que queira, por mais cético que seja, a conhecer a este homem de Deus. Lhe asseguro que não permanecerá indiferente.


Quer saber mais sobre a vida este Santo então assiste este vídeo.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

O final dos tempos se Aproxima?

http://reporterdecristo.com/sinal-dos-tempos-vaporizou-tudo-diz-homem-registrou-tornado-de-fogo/

O Ritual Romano para Exorcismo



O que é o Ritual Romano? 
“O Rituale Romanum (Ritual Romano em latim) é um livro litúrgico que contém todos os rituais normalmente administrados por um padre, incluindo o único ritual formal para exorcismo sancionado pela Igreja Católica Romana até finais do século XX. Além do exorcismo de demônios e espíritos, esse manual de serviço para padres também contém instruções para o exorcismo de casas e outros lugares que se acredita estarem infestados por entidades malignas.” (Wikipédia).
Neste livro encontram-se todos os Rituais da Igreja Católica. Rituais que vão desde o Batismo de crianças até o ritual de Exorcismo. Muitos procuram por este livro na internet e ele é realmente difícil de encontrar. Principalmente com essa onda cinematográfica de filmes e seriados como “O Exorcista” e “Supernatural” (exibido no SBT), todo mundo tem interesse em aprender, ou apenas por curiosidade, ver o texto original e até ter um livro desses em casa.
Como tenho certeza que a maioria que vai fazer o download do livro vai querer dar uma de Exorcista por aí, já vou logo esclarecendo alguns pontos:
1º - O Exorcismo, pelo menos na Teologia Católica, só pode ser ministrado pelo Padre com a autorização do Bispo Diocesano. Portanto, sair por aí querendo Exorcizar “todo mundo” não vai dar em nada.
2º - Esse livro não é um livro de magia onde contém palavras mágicas, onde se faz um “demônio” ou algo parecido sair do corpo. Como já foi mencionado, é um livro litúrgico que geralmente é usado por Padres.
 Esse livro, por assim dizer, não foi traduzido completamente para o português, apenas partes dele. Por exemplo: O Ritual de Exorcismo do Ritual Romano em Latim de nome “De Exorcizandis Obsessis A Daemonio” foi traduzido para o português no Brasil em um livro só, cujo nome é “Ritual de Exorcismo e outras Súplicas” que é vendido pela Editora Paulus.


Quer ver o livro click aqui (original em latim)

Existe o exorcismo em português feito pelo Padre Jonas Abid.

Advirto que o exorcismo é apenas utilizado por Padres autorizados, sendo o que estou postando é apenas para conhecimento e estudo.