segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

O ATO DE HUMILHAR-SE DIANTE DE DEUS.

             Desnecessário é mencionar que Deus está infinitamente acima de nós em tudo, portanto além do exposto ainda temos o fato da humilhação diante dEle. O homem nunca perdeu bênçãos pela humildade, ainda mais diante do Senhor Deus. Mas a humilhação é um ato interno, uma atitude conhecida somente pelo próprio Deus, pois Ele sonda os corações e pensamentos, e saberá exatamente se o orador esta mesmo sentindo-se como manifesta. E não faltou conselhos e advertências sobre essa posição a ser tomada.

II Crônicas 7:14 – “E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei seus pecados, e sararei sua terra.”

II Crônicas 34:27 – “Porquanto o teu coração se enterneceu, e te humilhaste perante Deus, ouvindo as suas palavras contra esse lugar, e contra os seus habitantes, e te humilhaste perante mim, e rasgaste as tuas vestes, e choraste perante mim, também eu te ouvi, diz o SENHOR.”

Daniel 10:12 – “Então me disse: não temas, Daniel, porque desde o primeiro dia em que aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras; e eu vim por causa das tuas palavras.”

Mateus 23:12 – “E o que a si mesmo se exaltar será humilhado; e o que a si mesmo se humilhar será exaltado.”

Tiago 4:10 – “Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará.”

I Pedro 5:6 – “Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte.”


            Como podemos observar o ato de humilhar-se diante do Todo Poderoso foi a prática antiga no passado, o ato de humilhação era verdadeiro, real e não somente interior como visualizado no exterior do homem. O conselho dos apóstolos foi que o cristão esteja em sua posição diante do Criador e Redentor, humilhado.

            Não é necessário aqui modificar os rumos da exposição para dizer sobre as doutrinas malignas quando mencionam e pregam em púlpitos, que o cristão deve requerer, exigir de Deus suas bênçãos!! Que aberração, heresia e horrenda coisa!! Quem de nós estaria no direito de exigir algo de Deus ? Ele nos orientou exatamente o contrário, para clamar, pedir, solicitar, implorar e humilhar-se para isso. então veja como Ele respondeu aos Profetas de modo positivo e os exaltou no seu tempo. Sua promessa é fiel e verdadeira, Ele não negará aquilo que prometeu, jamais.


sábado, 21 de janeiro de 2012

Rosario ...

Ó Rosário bendito de Maria, doce cadeia que nos prende a Deus, vínculo de amor que nos une aos anjos, torre de salvação contra os assaltos do inferno, porto seguro no naufrágio geral, não te deixaremos nunca mais. Serás o nosso conforto na hora da agonia. Seja para ti o último beijo da vida que se apaga. E a última palavra dos nossos lábios há de ser o vosso nome suave, ó Rainha do Rosário, ó nossa Mãe querida, ó Refúgio dos pecadores, ó Soberana consoladora dos tristes. Sede bendita em todo o lado, hoje e sempre, na terra e no céu»” (n. 43).

                                                                                        Beato Bártolo Longo, apóstolo do Rosário.

Rosário..............

O conceito de “mistério” tem hoje uma carga de sensacionalismo, de manchete jornalística, mas nem sempre foi assim.
O cristianismo assumiu a palavra aplicando-a às verdades da fé que não podem ser completamente compreendidas, por ultrapassarem a capacidade do ser humano: assim, por exemplo, o mistério da Santíssima Trindade. É no mesmo sentido que se aplica a palavra aos “mistérios da salvação”, àquelas realidades que, dizendo respeito a Cristo e ao nosso destino eterno, nunca são perfeitamente compreendidas. “Cada passagem da vida de Cristo, como é narrada pelos Evangelistas, reflete aquele Mistério que supera todo o conhecimento (cfr. Ef 3, 19). É o Mistério do Verbo feito carne, no qual «habita corporalmente toda a plenitude da divindade» (Col 2, 9). Por isso, o Catecismo da Igreja Católica insiste tanto nos mistérios de Cristo, lembrando que «tudo na vida de Jesus é sinal do seu Mistério» (n. 515)” (n. 24).É ainda neste sentido que se utiliza a palavra “mistérios” do Rosário. Trata-se de passar “diante dos olhos da alma os principais episódios da vida de Jesus Cristo” (n. 2), a fim de compreender mais a fundo o seu significado para a nossa vida interior e a nossa relação com Deus. É uma forma de repassar constantemente os acontecimentos que se deram na passagem de Deus entre os homens e que guardam em si os elementos essenciais para a vida cristã.
Os diversos ciclos de mistérios criados pela tradição cristã – Gozosos, Dolorosos, Gloriosos e, agora, Luminosos – “não são certamente exaustivos, mas apelam para o essencial, introduzindo o espírito no gosto de um conhecimento de Cristo que brota continuamente da fonte límpida do texto evangélico” (n. 24).

Devoção cristológica

Devoção tipicamente mariana, o Rosário é, sem dúvida, uma devoção muito cristológica, porque não se pode separar Maria do seu Filho, Jesus. “É o caminho de uma devoção mariana animada pela certeza da relação indivisível que liga Cristo à sua Mãe Santíssima: os mistérios de Cristo são também, de certo modo, os mistérios da Mãe, mesmo quando não está diretamente envolvida, pelo fato de Ela viver dEle e para Ele” (n. 24).

“as recordações de Jesus estampadas na sua alma acompanharam-na em cada circunstância, levando-a a percorrer novamente com o pensamento os vários momentos da sua vida junto com o Filho. Foram estas recordações que constituíram, de certo modo, o «rosário» que Ela mesma recitou constantemente nos dias da sua vida terrena” (n. 11).

Rosário............

Pois o Rosário é – digamos assim – uma “grande canção de amor”.

Uma das maiores resistências que alguns experimentam diante desta oração mariana é a repetitividade das Ave-Marias. “Considerando superficialmente uma tal repetição, pode-se ser tentado a ver o Rosário como uma prática árida e aborrecida. Chega-se, porém, a uma idéia muito diferente quando se considera o terço como expressão daquele amor que não se cansa de voltar à pessoa amada com efusões que, apesar de semelhantes na sua manifestação, são sempre novas pelo sentimento que as permeia [...]. Para entender o Rosário, é preciso entrar na dinâmica psicológica do amor” (n. 26).

Não dizem as canções de amor sempre a mesma coisa? Isso é mau, por acaso? Os namorados não repetem sempre as mesmas frases: “eu te amo”, “eu te adoro”, “você é o meu amor”? Com Maria Santíssima e com Jesus Cristo não há de ser diferente.

Para quem ama, a repetição das Ave-Marias no Rosário não é vazia nem monótona. Para os que ainda não amam devidamente, essa repetição pode ser um bom caminho para aprenderem a amar. João Paulo II não se recata em mostrar a sua preferência: “O Rosário é a minha oração predileta. Oração maravilhosa! Maravilhosa na simplicidade e na profundidade” (n. 2).

Para confirmar esta realidade, basta pensar que é “oração amada por numerosos santos” (n. 1), que são os campeões no amor. O Beato Bártolo Longo tomou-o como ponto princípal da sua missão e esteio da sua piedade. São Luís Maria Grignion de Monfort sustentava que é “ó método mais fácil de meditação” e “a mais difícil das orações vocais”. São Josemaría Escrivá chamava-lhe “arma poderosa para vencer na luta interior e para ajudar todas as almas”(2).

Mesmo para os santos, essa oração tão simples era um desafio. É o que relata com tanta espontaneidade Santa Teresa de Lisieux: “Sozinha (envergonho-me de confessá-lo), a recitação do terço custa-me mais do que servir-me de um instrumento de penitência… Sinto que o rezo tão mal! Esforço-me em vão por meditar os mistérios do Rosário, não consigo fixar o meu espírito… Fiquei durante muito tempo desolada com esta falta de devoção que me espantava, pois amo tanto a Santíssima Virgem que me deveria ser fácil recitar em sua honra as orações que lhe são agradáveis. Agora, desconsolo-me menos, penso que a Rainha dos Céus, sendo minha Mãe, deve ver a minha boa vontade e contentar-se com isso” (3). Que consoladoras são estas palavras para tantos que, embora desejando ser bons filhos de Nossa Senhora, notam que ainda teriam tanto a crescer nessa oração!

Oração para todos

A variedade de santos canonizados e de almas santas que testemunham a favor do Rosário mostra a riqueza dessa oração, que “tem não só a simplicidade de uma oração popular, mas também a profundidade teológica de uma oração adaptada a quem sente a exigência de uma contemplação mais madura” (n. 39). Pode ser rezado por milhares de pessoas numa catedral, no doce aconchego do lar, ou por um sacerdote sozinho no silêncio do confessionário. Reza-o a bisavó analfabeta num casebre no sertão, o bispo na sua residência episcopal, o estudante num vagão de trem do metrô, o doente no hospital, a enfermeira e o médico cristão. Os próprios jovens são “capazes de surpreender uma vez mais os adultos, assumindo esta oração e recitando-a com o entusiasmo típico da sua idade” (n. 42).

Contemplação

O Rosário “é uma oração marcadamente contemplativa. Privado desta dimensão, perderia o sentido, como sublinhava Paulo VI.: «Sem contemplação, o Rosário é um corpo sem alma e a sua recitação corre o perigo de se tornar uma repetição mecânica de fórmulas [...]. Requer um ritmo tranqüilo e uma certa demora em pensar, que favoreçam, naquele que ora, a meditação dos mistérios da vida do Senhor»” (n. 12).

A contemplação pede serenidade. É assim que a mãe contempla calmamente o seu filhinho que dorme; que o artista contempla durante um longo tempo uma obra de arte numa exposição; que o músico contempla uma bela canção. O terço pode ter exatamente esta função: conferir o “ritmo”, o “tempo”, o “compasso” de contemplação que é tão necessário numa época corrida como a que vivemos. Para não poucos, tentar interromper a agitação da vida moderna repentinamente e pôr-se a refletir não é tarefa nada fácil. A imaginação agita-se amalucadamente, a memória traz mil eventos ou imagens, e não deixa o mundo interior serenar. E a pessoa sente-se tentada a abandonar o seu esforço de concentração e de recolhimento do coração junto de Deus. Mas a oração serena do terço pode ajudar justamente a prender o mundo interior à volta de uma oração repetitiva, deixando espaço para que a alma se aconchegue junto do Senhor. A memória fica levemente entretida na oração vocal, a imaginação não se sente solta e perdida ao considerar os mistérios que estão sendo rezados, e o coração encontra-se livre para entabular um diálogo sereno com Deus sobre tantas e tantas coisas de que gostaria de falar, mas para as quais parecia não haver ocasião.

Por isso, o Rosário é “um método para contemplar”

Os mistérios do Rosário

Na primeira parte do Rosário, contemplamos os cinco Mistérios Gozosos, que contemplam a encarnação do Filho de Deus e Sua missão no mundo:
Anunciação a Maria Visitação de Nossa Senhora a sua prima Isabel Nascimento de Jesus Apresentação do Menino Jesus no Templo e purificação de Nossa Senhora Perda e encontro do Menino Jesus no Templo
1º- Anunciação a Maria;
2º- Visitação de Nossa Senhora a sua prima Isabel;
3º- Nascimento de Jesus;
4º- Apresentação do Menino Jesus no Templo e purificação de Nossa Senhora;
5º- Perda e encontro do Menino Jesus no Templo.

Na segunda parte do Rosário, contemplamos os cinco Mistérios Luminosos, que contemplam a revelação do Reino de Deus já personificado em Jesus:
Batismo de Jesus no rio Jordão Auto-revelação de Jesus nas Bodas de Caná Anúncio do Reino de Deus por Jesus, com o convite à conversão Transfiguração de Jesus Instituição da Eucaristia
1º- Batismo de Jesus no rio Jordão;
2º- Auto-revelação de Jesus nas Bodas de Caná, quando transforma a água em vinho;
3º- Anúncio do Reino de Deus por Jesus, com o convite à conversão;
4º- Transfiguração de Jesus;
5º- Instituição da Eucaristia.

Na terceira parte do Rosário, contemplamos os cinco Mistérios Dolorosos, que contemplam a Paixão e Morte de Jesus:
Agonia de Jesus no Horto Flagelação de Jesus Coroação de espinhos Jesus carregando a cruz no caminho do Calvário Crucifixão e morte de Jesus
1º- Agonia de Jesus no Horto;
2º- Flagelação de Jesus;
3º- Coroação de espinhos;
4º- Jesus carregando a cruz no caminho do Calvário;
5º- Crucifixão e morte de Jesus.

Na quarta parte do Rosário, contemplamos os cinco Mistérios Gloriosos, que contemplam a vitória de Jesus sobre a morte, o nascimento da Igreja e a glorificação de Maria:
Ressurreição de Jesus Ascensão de Jesus ao Céu Vinda do Espírito Santo sobre os Apóstolos Assunção de Maria Coroação de Maria no Céu
1o- Ressurreição de Jesus;
2o- Ascensão de Jesus ao Céu;
3o- Vinda do Espírito Santo sobre os Apóstolos;
4o- Assunção de Maria;
5o- Coroação de Maria no Céu.

Sugestões para a récita do Rosário

O Rosário durante a semana:
- os Mistérios Gozosos às segundas-feiras e sábados, e nos domingos do Advento;
- os Mistérios Luminosos às quintas-feiras;
- os Mistérios Dolorosos às terças e sextas-feiras, e nos domingos da Quaresma;
- os Mistérios Gloriosos às quartas-feiras e domingos do tempo Pascal e Comum.
Quando não se reza o Rosário inteiro, pode-se recitar um só terço, ou então as dezenas separadamente, contanto que se complete ao menos um terço no mesmo dia.
Mas, sempre que possível, deve-se rezar o Rosário inteiro todos os dias. Sugere-se rezar assim:
O Rosário ao longo do dia:
- os Mistérios Gozosos pela manhã;
- os Mistérios Luminosos ao meio-dia;
- os Mistérios Dolorosos à tarde, de preferência às 15hs, junto com o Terço da Misericórdia;
- os Mistérios Gloriosos no final da tarde ou à noite.

Você Colhe o Que Planta




"Ora aquele que dá a semente ao que semeia também vos dê pão para comer e multiplique a vossa sementeira e aumente os frutos da vossa justiça" II Corintios 9.10

Certa manhã uma mulher bem-vestida parou em frente de um homem sem teto que olhou para cima lentamente ... e reparou que a mulher que parecia acostumada com as coisas boas da vida. O casaco era novo. Parecia que ela nunca tinha perdido uma refeição em sua vida.
Seu primeiro pensamento foi:
"Só quer tirar sarro de mim como tantos outros fizeram ....” Por favor Deixe-me sozinho!” Resmungou o homem... Para sua surpresa a mulher continuou de pé. Ela estava sorrindo seus dentes brancos exibidos em linhas deslumbrantes.

"Você está com fome?"perguntou ela.

"Não" respondeu sarcasticamente. "Acabei de voltar do jantar com o presidente... Agora vá embora."
O sorriso da mulher se tornou ainda mais amplo. De repente o homem sentiu uma mão suave debaixo do braço.

"O que você está fazendo senhora?"Perguntou o homem irritado. "Disse para deixar-me sozinho!"

Neste momento um policial chegou.

"Existe algum problema senhora?" Perguntou ele...
"Não tem problema aqui Policial”a mulher disse... "Eu só estou tentando ajudá-lo a ficar de pé ...Pode me ajudar?”

O policial  coçou a cabeça.
"Sim o velho João é um estorvo por aqui há anos. O que você quer com ele?" Perguntou o policial...

"Vê o restaurante ali?"Perguntou ela. "Eu vou dar-lhe algo para comer e tirá-lo do frio por um tempo."

"Você senhora está louca?" O homem sem-teto resistiu. "Eu não quero ir para lá!” Então sentiu mãos fortes segurando braços e levantá-lo. "Deixe-me ir eu não fiz nada oficial ..."
"Não vê esta é uma boa oportunidade para você"o oficial sussurrou em seu ouvido.

Finalmente e com alguma dificuldade a mulher e o oficial levam João para o restaurante e o sentam em uma mesa em um canto do refeitório. Era quase quatorze horas a maioria das pessoas já tinha comido o almoço e para jantar o grupo ainda não tinha chegado
O gerente do restaurante veio a eles e perguntou.

"O que está acontecendo aqui oficial? O que é isso? E este homem está em apuros?"

"Esta senhora trouxe-o aqui para comer alguma coisa" respondeu o oficial.

"Oh! não não aqui!" o gerente respondeu com raiva. "Ter uma pessoa como essa aqui é ruim para os negócios!”
O velho João sorriu com poucos dentes.

"Senhora eu lhe disse. Agora você vai me deixar ir? Eu não queria vir aqui desde o início."

A mulher foi até o gerente de lanchonete e sorriu ...

"O senhor está familiarizado com Harris & Associates?empresa que fica a duas ruas daqui?"

"Claro que eu sei"respondeu o gerente impaciente. "Eles fazem as suas reuniões semanais aqui e jantam no meu restaurante".

"E você ganha um monte de dinheiro fornecendo alimentos para essas reuniões semanais?" Perguntou a Sra...
"E o que importa para você?” perguntou o gerente impaciente.

“Eu senhor sou Penelope Hernandez presidente e proprietária da empresa." disse ela.
"Oh desculpe!” disse o gerente...

A mulher sorriu de novo... "Eu pensei que isso poderia fazer a diferença no seu tratamento." Ela disse ao policial que se esforçou para conter uma risada. "Gostaria de fazer-nos uma xicara de café ou talvez uma refeição policial?"
"Não obrigado senhora" respondeu esse. "Estou de plantão".

"Então talvez uma xicara de café para ir?" disse ela.

"Sim senhora. Isso seria melhor." respondeu o policial.

O gerente do restaurante virou nos calcanhares como se recebesse uma ordem.

"Vou trazer o café para o policial imediatamente Senhora"
O policial observou-a de pé. E falou:

"Certamente colocou no lugar"disse ele.
"Essa não foi minha intenção"disse a Sra. “...Acredite ou não eu tenho uma boa razão para tudo isso." Ela se sentou na mesa em frente ao seu convidado para jantar. Ela olhou para ele ... "João você se lembra de mim?"

O velho João olhou para seu rosto com seus olhos remelentos "Eu acho que sim quero dizer acho que é familiar."

"Olha João talvez eu seja um pouco maior mas olha-me bem" disse a Sra. "Talvez eu esteja mais gordinha agora ... mas quando trabalhava aqui há muitos anos atrás eu vim aqui uma vez e por esta mesma porta entrei morrendo de fome e frio." Algumas lágrimas caíram por suas bochechas ...

"Senhora?" disse o policial eu não podia acreditar no que estava presenciando mesmo pensando que como uma mulher como esta poderia ter passado fome.

"Eu tinha acabado de se formar na faculdade em minha cidade natal"disse a mulher... "e vim para a cidade à procura de um emprego mas não consegui encontrar nada...” Com a voz quebrantada a mulher continuou: “Quando eu tinha meus últimos centavos e entreguei meu apartamento andava pelas ruas sem ter onde morar e foi em julho estava frio e quase morrendo de fome quando vi este lugar e entrei pensando numa pequena chance para conseguir algo para comer”. Com lágrimas nos olhos a mulher continuou falando ...“João me recebeu com um sorriso. "

“Agora eu me lembro"disse João. "Eu estava atrás do balcão de serviço. Ela se aproximou e perguntou se poderia trabalhar para comer alguma coisa."

"Você me disse que era contra a política da empresa." A mulher continuou... Então você me fez o maior sanduíche de rosbife que já vi... deu-me uma xícara de café e fui para um canto para apreciar a minha refeição. Eu estava com medo que você se metesse em encrencas. Então eu olhei e vi você colocar o valor dos alimentos no caixa. Eu sabia que tudo ficaria bem. "

"Então você começou seu próprio negócio?" O velho disse João.

"Sim encontrei um trabalho naquela mesma tarde. Eu trabalhei muito duro e eu subi com a ajuda do meu Deus. Tempos depois eu comecei meu próprio negócio e com Deus ele prosperou .." Ela abriu sua bolsa e tirou um cartão. "Quando terminar aqui eu quero que você faça uma visita ao Sr. Martinez. Ele é o diretor de pessoal da minha empresa e vai encontrar algo para você fazer nela.” Ela sorriu. "Eu poderia até adiantar-lhe algo o suficiente para que você possa comprar algumas roupas e arrumar um lugar para viver até se recuperar. Se você precisar de alguma coisa minha porta está sempre aberta para você João."

Havia lágrimas nos olhos do idoso.
"Como eu posso agradece-la” ele perguntou.

"Não me agradeça" ela respondeu. "A Deus da-lhe glória. Ele me trouxe para você."
Fora do restaurante o policial e a mulher pararam e antes de ir embora ela disse: "Obrigado por toda sua ajuda!”.

Em vez disso o oficial disse: "Obrigado eu que vi um milagre hoje algo que eu nunca vou esquecer. E .... E obrigado pelo café. "....
Que Deus te abençoe sempre e não se esqueça que quando jogamos pão sobre as águas você nunca sabe quando ele será devolvido para você...

Deus é tão grande que pode cobrir o mundo com amor e tão pequeno para entrar em seu coração.

Quando Deus te leva à beira do precipício confie nele completamente e deixe-se levar.

Apenas uma outra coisa vai acontecer ou ele segura quando você cair ou vai te ensinar a voar!
Quando Deus fecha portas ninguém pode abrir e quando Deus abre portas ninguém pode fechar...

E lembre-se de ser uma bênção para os outros

Desconheço o Autor

Colaboração de Um Amigo de Deus.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

domingo, 15 de janeiro de 2012

Sofrimento: oportunidade para o crescimento


“Tu, porém, vigia em tudo, suporta as provações, faze o trabalho de um evangelizador” (2 Tm4,5). Superar o sofrimento significa não negá-lo, mas vivenciá-lo e sair dele transformado. Negar, remover, e projetar externamente as causas desse sofrimento ou até continuar sem mostrar, a cozê-lo em fogo brando interiormente, como eternNão gostamos de sofrer, e sim desejamos eliminar a dor totalmente, e aí estão as causas de muitas neuroses e muitos pecados. 
Negar o sofrimento e permanecer dentro dele como vítima, não faz crescer, não transforma. O sofrimento faz parte da vida. Somente a parte espiritual que habita em cada um de nós, nossa parte divina, eterna, pode viver insucessos como se fossem vitórias e os sofrimentos como alegrias. Não existem pessoas que nunca tenham provado o sofrimento e a dor. O sofrimento é pessoal, cada um tem seu próprio sofrimento e modo de sofrer. O sofrimento do coração é sombrio, rude, e sem esperança para nós, enquanto o sofrimento físico não cria a mesma angústia. O diabo, sobretudo leva-nos a crer que o sofrimento torna-se medonho, terrível e, por isso vivemos como pessoas não amadas por Deus.

                                                                                                         Wellington Silva Jardim

"Deus tem um plano e um calendário, e nós vamos ter que aprender a ficar feliz com isso".
                                                                                                                    -Joyce Meyer-